Festa da Líder no 'BBB 24' é marcada por desabafos e críticas entre participantes

Variedades
Tipografia
  • Pequenina Pequena Media Grande Gigante
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Na madrugada desta quinta-feira, 29 de fevereiro, o BBB 24 foi cenário de intensas emoções e revelações que marcaram a dinâmica entre os participantes. Durante a Festa da Líder Beatriz, temática "Camelando", diversos acontecimentos se destacaram, desde críticas abertas até momentos de vulnerabilidade emocional.

 

Pitel expressou seu descontentamento com Davi, apontando comportamentos que considera ultrapassarem os limites do jogo. Enquanto isso, Wanessa e Yasmin protagonizaram conversas profundas, abordando desde decepções com outros competidores até revelações pessoais significativas, como a lembrança de antigos amores e a dinâmica de perseguição percebida dentro da casa.

 

Davi, por sua vez, não hesitou em rotular Wanessa e Yasmin como "cobras", evidenciando a tensão e as alianças frágeis que permeiam o ambiente. Paralelamente, a líder Beatriz emocionou-se ao reviver suas experiências passadas por meio da decoração e atividades da festa, reforçando sua conexão com a vida fora do reality.

 

Confira a seguir mais detalhes dos acontecimentos:

 

Críticas de Pitel a Davi

 

Durante a festa, Pitel dividiu a sua opinião sobre Davi, destacando um comportamento que, segundo ela, ultrapassa os limites do jogo. Em uma conversa com Lucas Henrique, a participante alagoana enfatizou sua intenção de não formar juízos pessoais dentro da casa, mas fez uma exceção ao descrever Davi como "chato" e "desrespeitoso".

 

Pitel explicou sua abordagem ao jogo, dizendo: "aqui dentro eu entendo que não quero falar de você como pessoa, quero falar de você como jogador, porque quando passar por aquela porta seu jogo não vai me interessar mais, quero que isso aqui zere, não quero que você leve para o coração. Já errei com Rodrigo, com Fernanda, acho que Rodrigo nunca errou comigo". Ela continuou, destacando a atitude de Davi: "quero tentar ao máximo julgar as pessoas aqui pelo jogo delas, fora a parte das pessoas que eu acho chata, porque ser chata é pontual. Davi faz é chato, cansativo, é desrespeitoso. Para mim, isso passa do jogo".

 

Além disso, Pitel discutiu a dinâmica dos afazeres domésticos na casa, criticando a atitude de jogar na cara dos outros as boas ações feitas. "Depois da briga, cheguei no quarto Fada e ele estava falando: 'tem dois ou três aqui que não fazem nada'. Quando eu cheguei, ele parou de falar", relatou Lucas Henrique.

 

Pitel complementou: "vocês fazem porque querem. Quem é obrigado a fazer qualquer tipo de coisa e falar assim: 'Alegrete, lavei a louça lá, fiz o arroz'. Aqui estamos todos de igual para igual. Quer fazer? Faça, mas você está fazendo porque quer, porque todo mundo aqui é adulto e todas as punições que tomam é porque querem", disse. "Limpou porque quis e depois está jogando na cara porque você é um babaca, entendeu? Só que depois que faz tudo de bom coração, é fácil jogar na cara".

 

Wanessa e Yasmin

 

Wanessa compartilhou suas preocupações com Yasmin sobre como são percebidas dentro do jogo. A conversa revelou a inquietação de Wanessa após ser etiquetada como falsa por Davi, em uma discussão que ocorreu antes da festa.

 

Wanessa expressou: "por causa dos estereótipos, a gente vira a vilã". Yasmin, em resposta, sugeriu focar na competição: "ganha o Líder".

 

As duas continuaram discutindo as atitudes de outros participantes, com Yasmin expressando frustração sobre repetir argumentos sem ser ouvida. "Eu tinha desistido já de discutir, porque sabe quando você repete, repete e a pessoa não muda a tecla?". Wanessa, enfatizando a importância de se posicionar, respondeu: "não pode, tem que bater junto. Porque o que parece, quando a gente cala, a gente consente".

 

O diálogo entre elas também abordou a decepção com Alane, com Wanessa mencionando: "mas que foi decepção a Alane, foi". Yasmin criticou a tendência de Alane de se colocar como vítima em situações de conflito: "só que ela faz isso com todo mundo que bate de frente com ela, ela deixa a pessoa como errada e ela de vítima. Ela distorce absolutamente tudo. Ela é assim, é quem ela é".

 

Além disso, Yasmin opinou sobre a percepção de perseguição por parte de Alane: "o sonho da Alane é que toda a casa estivesse contra ela. Isso está nítido. O sonho dela é ser a perseguida que vai em todo Paredão e volta de todos. A vítima, a coitadinha".

 

Davi fala sobre Wanessa e Yasmin

 

Davi, em conversa com Alane e Matteus, chamou Wanessa e Yasmin de"cobras", referindo-se a atitudes que interpretou como traiçoeiras. Essa observação surgiu durante uma discussão sobre as flutuações nos relacionamentos entre os participantes.

 

Alane notou uma mudança na forma como Wanessa interagia com ela, destacando a ausência de contato visual, o que foi prontamente identificado por Davi como um indicativo de falsidade. Matteus, por outro lado, sugeriu que a conduta de Wanessa poderia ser resultado de receio quanto ao julgamento do público, em vez de falsidade.

 

A conversa se aprofundou quando Alane mencionou ter sonhado com Yasmin se transformando em cobra. Davi então expandiu sua crítica para incluir ambas as participantes: "ela e Yasmin são duas cobras. Hoje te abraça, amanhã te apunhala".

 

A Festa da Líder Beatriz

 

Na festa temática "Camelando", dedicada à líder Beatriz, a noite foi marcada por uma série de momentos emotivos e homenagens. Beatriz se emocionou profundamente ao encontrar uma barraca de camelô na decoração, lembrando do seu trabalho anterior ao programa.

 

Ao longo do evento, Beatriz assumiu o papel de camelô, e percorreu as barracas para anunciar e "vender" produtos variados como frutas, chapéus, óculos, casacos, e lenços, envolvendo outros participantes como Alane, Davi, e Matteus na dinâmica.

 

Revelações pessoais

 

No decorrer da festa, Wanessa compartilhou momentos significativos de sua vida pessoal . A cantora relembrou seu relacionamento com Dado Dolabella ao ouvir Magic da banda Coldplay, expressando a importância emocional dessa música para ela. "Eles querem fazer eu chorar", comentou.

 

Além disso, a cantora abriu o coração sobre sua primeira paixão. Ao escutar Ela Não Está Aqui, hit do KLB, a cantora revelou ter namorado Leandro, um dos integrantes do trio, quando tinha 15 anos. "KLB!", comemorou ela, iniciando a cantar a música e compartilhando que "a primeira paixão da vida" foi Leandro. "Quando eu vi ele, eu tinha 9 anos, ele passou na minha frente. Só fui namorar ele com 15 anos", explicou Wanessa.

Em outra categoria

O governo de São Paulo desenvolveu um site para a venda de prédios públicos, mas divulgou, de forma equivocada, endereços que não seriam comercializados, segundo o próprio Executivo estadual. Na lista, estavam imóveis como o quartel da Rota, tropa de elite da Polícia Militar, o Hospital das Clínicas e até o parque do Horto Florestal.

A página foi retirada do ar com a inscrição "em manutenção". As informações foram divulgadas inicialmente pelo portal g1 e confirmadas pelo Estadão.

Procurada, a gestão do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) informou um "erro técnico" provocou a divulgação de "informações descontextualizadas".

"A Secretaria de Gestão e Governo Digital (SGGD) informa que o portal imoveis.sp.gov.br está em construção e, por um erro técnico, levou ao ar informações descontextualizadas sobre o patrimônio imobiliário estadual. Para corrigir essa falha, o site foi tirado do ar e em breve voltará a ser disponibilizado.

O site também ofereceu as sedes da Assembleia Legislativa do Estado, do Tribunal da Justiça, do Ministério Público do Estado e do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

O portal chegou a informar as especificações de cada imóvel, como área construída e o endereço, além de um campo que deveria ser preenchido por eventuais interessados. Em alguns locais, até o valor foi informado, como no caso do prédio do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe), avaliado em R$ 926.082.300.

O deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) chegou a acionar o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público Estadual pedindo apuração da disponibilidade de imóveis sem consulta à população.

O governo estadual afirmou que o portal foi criado para facilitar o acesso à informação, organizando e centralizando os dados dos imóveis sob a gestão do Estado. "Quando concluída, a página também trará as informações sobre terrenos ou prédios que eventualmente forem destinados à venda", informou o governo.

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, clamou nesta sexta-feira o Congresso a aprovar temas que fazem parte da agenda prioritária do governo, como projetos de lei ligados à agenda verde. Entre os projetos em discussão, ele comentou que está confiante na aprovação do marco regulatório do mercado de carbono ainda este ano.

Segundo ele, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) quer colocar o projeto para votar já em abril. "Vamos ter como base a recuperação do texto que já tinha sido aprovado no Senado, que foi um grande acordo com o setor do agronegócio", disse.

O ministro também citou sobre o projeto do Combustível do Futuro, que o governo pretende ter aprovado "neste ano, se possível neste semestre", e o das Patentes, com expectativa de votar "o mais rápido possível".

Por fim, Padilha comentou sobre o projeto de lei das eólicas offshore, votado na Câmara com diversos jabutis. "Ali, quero deixar explícito, existem temas que inclusive entram em choque com a expectativa de transição energética e transição ecológica, então o governo vai trabalhar no Senado para a gente recuperar a ideia original das eólicas offshore. O tema específico em relação a este mercado tão importante para investimento no Brasil pode liderar com força, excluindo temas que entraram de outras matrizes energéticas que consideramos não adequado serem discutidos naquele projeto", disse.

Padilha disse estar otimista com essas agendas porque que "são temas que não são de governo ou de oposição", mas unem a agenda do Congresso Nacional. "Tenho convicção absoluta que vão ser aprovados inclusive com maioria muito mais ampla, porque não são de governo ou oposição, são temas que unificam o Brasil."

Desde março, a Embaixada dos Estados Unidos em Brasília e os quatro consulados no Brasil (em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre) oferecem a opção de pagamento da taxa de solicitação (MRV) por meio de Pix.

Como essa nova alternativa ainda está em fase de implementação, a confirmação do pagamento pode demorar até uma hora, informa a embaixada. Além deste método, os solicitantes ainda podem pagar por meio de cartão de crédito ou boleto bancário.

A taxa para solicitação de visto custa US$ 185 e o pagamento dela é o segundo passo para obter o visto. O primeiro é preencher o formulário DS-160 de forma online. Após o pagamento, o interessado deve agendar a entrevista no consulado ou na Embaixada.

Outras mudanças foram nos endereços do Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV) em Brasília e no Rio de Janeiro. Na capital fluminense, ele agora funciona no Bossa Nova Mall (Av. Almirante Silvio de Noronha, 365/loja SS 101, centro, junto ao Aeroporto Santos Dumont).

Em Brasília mudou para o Aeroporto Internacional de Brasília - Presidente Juscelino Kubitschek, piso mezanino (acesso próximo ao embarque doméstico, no mesmo piso da venda de passagens aéreas das companhias).

Entre janeiro e março de 2024, o número de vistos para os Estados Unidos processados no Brasil cresceu 20% em comparação como o mesmo período do ano passado. Isso significa que mais de 340 mil vistos foram processados em apenas três meses, em todo o território nacional.

Em 2023, foram emitidos 1,1 milhão de vistos no Brasil, uma quantidade recorde, e a expectativa da embaixada é superar esse número em 2024.