Avião de caça da Segunda Guerra cai na Inglaterra e mata piloto

Internacional
Tipografia
  • Pequenina Pequena Media Grande Gigante
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times
Um avião de caça Spitfire do período da Segunda Guerra Mundial caiu perto de uma base da Força Aérea Britânica, no leste da Inglaterra, neste sábado, 25, matando o piloto, informou o Ministério da Defesa do Reino Unido. A pasta confirmou a morte de um piloto da Royal Air Force (RAF) "em um trágico acidente" que ocorreu próximo da base aérea de Coningsby.

Não houve informações imediatas sobre a causa do acidente. A base, a cerca de 230 km ao norte de Londres, abriga tanto jatos de combate modernos quanto o Battle of Britain Memorial Flight, uma coleção de aviões de caça e bombardeiros da época da Segunda Guerra que participam de shows aéreos e exibições comemorativas.

Vários dos aviões deveriam realizar um espetáculo aéreo neste sábado no Lincolnshire Aviation Heritage Center, nas proximidades.

A Polícia de Lincolnshire disse que os serviços de emergência foram chamados à tarde após os relatos de que uma aeronave havia caído em um campo em Coningsby. A força policial disse acreditar que havia apenas um ocupante e ninguém mais teria se envolvido no incidente.

O acidente ocorreu dias antes de aeronaves clássicas tomarem os céus para celebrar o 80º aniversário do Dia-D, a invasão aliada da Normandia em 6 de junho de 1944. Mais de 20 mil Spitfires foram construídos nos anos 1930 e 1940. O ágil e manobrável avião desempenhou um papel-chave na defesa do Reino Unido contra ataques da Luftwaffe alemã durante a Batalha da Grã-Bretanha em 1940.

Na época, o então primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, prestou uma homenagem aos aviadores da batalha que se tornou famosa: "Nunca, no campo do conflito humano, tanto foi devido por tantos a tão poucos".

Atualmente, há apenas algumas dezenas de Spitfires em condições de voo, incluindo seis que pertencem ao Battle of Britain Memorial Flight.

Fonte: Associated Press.

Em outra categoria

A defesa do presidente do Solidariedade, Eurípedes Júnior, divulgou uma nota em que diz que o dirigente se apresentou à Polícia Federal do Distrito Federal neste sábado (15) "para permitir o cumprimento do mandado de prisão preventiva expedido em seu desfavor".

No texto, os advogados José Eduardo Martins Cardozo e Fabio Tofic Simanthob dizem que Eurípedes "demonstrará perante a Justiça não só a insubsistência dos motivos que propiciaram a sua prisão preventiva, mas ainda a sua total inocência em face dos fatos que estão sendo apurados nos autos do inquérito policial em que foi determinada a sua prisão preventiva".

O presidente do Solidariedade é alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga uma suposta quadrilha que teria desviado recursos do fundo partidário e eleitoral do Solidariedade nas eleições de 2022. Até então, Eurípedes ainda não havia sido localizado. Segundo a emissora CNN Brasil, o dirigente já está na cela.

"Paulinho da Força"O deputado federal Paulo Pereira da Silva (Solidariedade-SP), conhecido como "Paulinho da Força", assumiu a presidência do seu partido neste sábado, 15, após a prisão do dirigente Eurípedes Júnior, no Distrito Federal.

Em nota, a direção nacional do Solidariedade informou que Eurípedes solicitou licença por prazo indeterminado do cargo. Paulinho da Força já ocupava a vice-presidência da sigla.

A legenda acrescenta que a solicitação "é compatível com o estatuto partidário" e que a sua secretaria-geral "tomará todas as providências necessárias e cabíveis para o seu imediato atendimento, tendo em vista a regular continuidade do exercício da direção partidária".

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu o compromisso de rediscutir os gastos do governo em meio às incertezas sobre os planos fiscais traçados pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Diante das críticas contra o ministro, Lula disse que, enquanto for presidente, Haddad "jamais" ficará enfraquecido no cargo.

O presidente disse ter solicitado ao ministro da Casa Civil, Rui Costa, para que, na próxima semana, prepare uma reunião do conselho orçamentário para discutir o orçamento e os gastos do governo. "Acho que tudo aquilo que a gente detectar que é gasto desnecessário, você não tem que fazer", comentou Lula, em coletiva de imprensa neste sábado, 15, na Itália.

Lula afirmou, contudo, que o governo não irá fazer ajuste que afete a população mais pobre. A fala ocorre em meio à possível alternativa do governo de limitar a correção de pisos de Saúde e Educação.

O presidente disse ter falado a Haddad que a questão da desoneração não é mais um problema do governo. "Os que ficam criticando o déficit fiscal, os gastos do governo, são os mesmos que foram ao Senado aprovar a desoneração a 17 grupos empresariais. E que ficaram de fazer uma compensação para suprir o dinheiro da desoneração e não quiseram fazer", afirmou o petista.

"Eu disse a Haddad: Não é mais problema do governo, é problema deles. Agora, os empresários que se reúnam, discutam e apresentem ao ministro da Fazenda uma proposta de compensação", comentou.

Em meio às críticas recebidas por Haddad nos últimos dias, após a devolução de parte da Medida Provisória (MP) do PIS/Cofins, Lula reiterou a permanência do chefe da Fazenda no cargo. "Haddad jamais ficará enfraquecido enquanto eu for o presidente da República, porque ele é meu ministro da fazenda, escolhido por mim e mantido por mim", disse. "Se o Haddad tiver uma proposta de compensação, ele vai me procurar essa semana e discutir economia comigo."

Na fala, Lula reiterou o compromisso de, até o final de seu mandato, fazer a economia brasileira chegar a 6ª maior no mundo.

Os deputados federais Rosana Valle (PL) e Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) seguem liderando os cenários da corrida eleitoral para as eleições municipais de Santos, município do litoral de São Paulo, de acordo com pesquisa divulgada pelo instituto Paraná Pesquisas nesta quinta-feira, 13.

O estudo a revelou que, se as eleições fossem hoje, Rosana Valle estaria numericamente à frente nos dois cenários testados. No primeiro, que incluí o atual gestor da cidade, a deputada lidera com 39,9% das intenções de votos, seguida do prefeito Rogério Santos (Republicanos), com 25,8%, Telma Souza (PT), com 17%, e Débora Camilo (PSOL), com 3,8%.

Sem a concorrência de Rogério, ela está em situação de empate técnico com Paulo Alexandre Barbosa. Enquanto ela pontua com 36%, ele tem 35,5%. A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais para mais e para menos. Telma Souza e Débora Camilo se mantêm como últimas colocadas, com 13,9% e 3,6%, respectivamente.

Comparado com os meses anteriores, Rosana Vale tem oscilado para cima. Nas últimas 3 edições da pesquisa, no cenário com Rogério, ela teve 35,7% de aprovação em dezembro de 2023, 36,1% em março, 38,1% em abril deste ano e 39,9% agora.

Já no cenário sem o atual prefeito e com Barbosa na disputa, os números da deputada foram, nas mesmas datas mencionadas, 27,8%, 31,5%, 33% e 36% neste último levantamento..

Rogério Santos oscilou para baixo desde o último estudo. Em dezembro a taxa de intenção de votos para a reeleição do atual prefeito era 24,4%, em março 27% e, em abril 27,1%, contra 25,8% de agora. O mesmo ocorre com Barbosa, que pontuou com 40,2%, 37,8%, 39,8% e 35,5% de intenção de votos ao longo do períiodo.

O Paraná Pesquisa ouviu 800 pessoas entre os dias 7 e 12 de junho. A pesquisa possui um nível de confiança é de 95% e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número SP-07772/2024.