Erick Jacquin não é só conhecido por ser jurado do MasterChef. O "tompero" do chef francês virou uma espécie de marca dele. "O meu negócio é o meu sotaque. Isso é o que fez o sucesso do meu personagem. É o "tompero" (tempero) que todo mundo fala", ressalta Jacquin ao lembrar que foi recusado pelo SBT por causa do sotaque.

"Um diretor queria fazer (reality show), mas me falou: 'Você não fala português, então não dá'. Ele não me aceitou e, graças à Deus, porque hoje se falo bem português eu poderia receber menos", disse.

O chef estreia nesta terça-feira, 27, a nova temporada de Pesadelo na Cozinha. Ele ajudará sete restaurantes a escaparem da falência. Jacquin vai encontrar falhas e possíveis soluções para que os empreendimentos voltem a dar lucro.

"Mas o Pesadelo na Cozinha é muito mais que um programa de televisão, me pegou muito no coração. Já chorei, gritei, xinguei, abracei. Já fiz tudo nesse programa", adianta.

Jacquin já viveu, na pele, o fracasso de um negócio. Um restaurante dele fechou as portas em 2013 por causa de uma situação financeira difícil. "O MasterChef salvou a minha vida. Foi a grande oportunidade de voltar por cima, de me reinventar, mas não imaginava que chegaria a esse ponto", ressaltou.