O presidente Jair Bolsonaro evitou, ontem, 3, falar sobre a conclusão, pela Polícia Federal, de que não há indícios de que o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) tenha cometido os crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica em uma das investigações que o envolvem. Questionado pela imprensa ao chegar em evento em São Paulo, ele se limitou a dizer: “pergunta para a Polícia Federal, não me meto em questões do Judiciário”. Flávio estava presente na comitiva de Bolsonaro.

O presidente da República levou uma farta comitiva para o evento de inauguração da pedra fundamental do Colégio Militar de São Paulo. Além de Flávio, outro filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, também compareceu.

Jair Bolsonaro estava acompanhado dos responsáveis pelas pastas do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Educação, Abraham Weintraub. Ambos foram duramente criticados pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na semana passada. A nova secretária de Cultura, Regina Duarte, também acompanhou o presidente.

Durante a cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro lembrou o resultado do Brasil no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa). Bolsonaro destacou que a avaliação foi feita em 2018, portanto antes de seu governo. Disse também que espera melhora do posicionamento do país na próxima avaliação que será realizada em 2021.

“O Brasil chegou a uma situação na educação que não pode ser ultrapassada por mais ninguém, porque já estamos no último lugar. E essa prova do Pisa foi realizada em 2018, antes do nosso governo. Apesar do tempo relativamente curto, com toda certeza, melhoraremos sim muitas posições para a próxima prova que será realizada em 2021”, afirmou.