Por meio de nota divulgada por suas redes sociais, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, manifestou sexta-feira (17) total repúdio a discurso do então secretário nacional de Cultura, Roberto Alvim. Em vídeo, Alvim, utilizou expressões semelhantes a um discurso sobre arte proferido por Joseph Goebbels, ministro da Propaganda de Adolf Hitler, no governo nazista. Davi classificou o pronunciamento do secretário como “acintoso, descabido e infeliz”. O secretário foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro.

"No interior do Amapá, na localidade de Ariri, participando da retomada do programa Luz para Todos, somente agora tive o desprazer de tomar conhecimento do acintoso, descabido e infeliz pronunciamento de assombrosa inspiração nazista do secretário de Cultura, Roberto Alvim, do governo federal. Como primeiro presidente judeu do Congresso Nacional, manifesto veementemente meu total repúdio a essa atitude e peço seu afastamento imediato do cargo.

É totalmente inadmissível, nos tempos atuais, termos representantes com esse tipo de pensamento. E, pior ainda: que se valha do cargo que eventualmente ocupa para explicitar simpatia pela ideologia nazista e, absurdo dos absurdos, repita ideias do ministro da Informação e Propaganda de Adolf Hitler, que infligiu o maior flagelo à humanidade".

No vídeo, Roberto Alvim disse: “A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada”.