Impor controles mais rígidos para frear a disseminação da covid-19 pode salvar centenas de milhares de vidas em toda a Europa antes de fevereiro, agora que o continente enfrenta aumento exponencial de infecções, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) ontem (15).

Em um apelo aos governos para “mostrarem serviço” rapidamente, a fim de conter uma segunda onda da pandemia do novo coronavírus, o diretor da OMS para a Europa, Hans Kluge, disse que a situação atual é, “mais do que nunca, uma época pandêmica para a região”.

As infecções novas estão chegando a 100 mil por dia na região, que acaba de registrar a maior incidência semanal de casos de covid-19 desde o início da pandemia: quase 700 casos relatados.

“A disparada do outono e do inverno continua a se desenrolar na Europa, com aumentos exponenciais de casos diários e aumentos percentuais equivalentes de mortes diárias”, disse Kluge em entrevista coletiva virtual.

“É hora de mostrar serviço. A mensagem aos governos é: não se limitem a ações relativamente pequenas para evitar as ações dolorosas e prejudiciais que vimos na primeira rodada (de março e abril).”

Globalmente, há registros de mais de 38 milhões de pessoas infectadas com a covid-19, e 1,1 milhão morreram.

Kluge citou projeções do que descreveu como “modelos epidemiológicos confiáveis” e disse que eles “não são otimistas” para a região europeia.

Mas adotar medidas de contenção simples e rápidas agora - como obrigar o uso generalizado de máscaras e controlar as aglomerações em espaços públicos ou particulares - pode salvar até 281 mil vidas até fevereiro nos 53 países que compõem a região europeia da OMS, acrescentou.

Vários países já estão endurecendo as medidas de isolamento social diante do aumento dos casos, o que vem sendo considerada a segunda onda da pandemia, fenômeno que deve se espalhar pelo mundo, inclusive alcançando as Américas. Nos Estados Unidos, já está sendo verificado aumento do contágio em vários estados.