Kim Kyong-hui, uma tia do líder norte-coreano, Kim Jong-il, reapareceu no sábado passado, dia 25, ao lado dele durante um evento em Pyongyang pelo ano-novo lunar depois de seis anos, encerrando as especulações de que ela teria sido executada. Os rumores começaram depois que seu influente marido, Jang Song-thaek, foi executado em dezembro de 2013 por traição e corrupção. (Com agências internacionais).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.