O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse, em entrevista ao jornal The Washington Post, que é um “sobrevivente” da luta da oposição e seus aliados em Washington para derrubá-lo, permanece confortavelmente no poder e está aberto a negociações diretas com os EUA.

Esta é a primeira entrevista de Maduro a um importante meio de comunicação americano desde fevereiro de 2019, quando expulsou todos os jornalistas da Univision da Venezuela.

“Se houver respeito entre os governos, não importa o tamanho dos EUA, e se houver um diálogo, uma troca de informações verdadeiras, tenha certeza de que podemos criar um novo tipo de relacionamento”, declarou Maduro. O líder socialista afirmou que está pronto para negociar com Washington o fim das sanções impostas pelo presidente Donald Trump com o objetivo de sufocar a indústria petrolífera venezuelana e forçar Maduro a deixar o poder.

O presidente venezuelano disse que, caso Trump suspenda as sanções, as empresas de petróleo dos EUA poderão se beneficiar muito do petróleo da Venezuela. “Uma relação de respeito e diálogo traz uma situação em que todos ganham. Uma relação de confronto traz uma situação em que todos perdem. Essa é a fórmula.”