A União Europeia (UE) decidiu "aceitar o pedido do Reino Unido para uma extensão do Brexit até 31 de janeiro de 2020", confirmou nesta segunda-feira (28) o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. O anúncio de Tusk foi feito pelo Twitter.

Ele acrescenta que a decisão deverá agora ser "formalizada por meio de um procedimento escrito". De acordo com Donald Tusk, esse prazo pode ser encurtado caso o o Parlamento ratifique, entretanto, o acordo de saída firmado pelo primeiro-ministro, Boris Johnson, e por Bruxelas.

Renegociação

A decisão do adiamento foi tomada esta manhã, durante reunião de meia hora entre os embaixadores dos países integrantes da UE, que na última sexta-feira 25) tinham rejeitado um acordo sobre a duração da nova extensão da saída do Reino Unido do bloco europeu.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, sempre disse que não iria pedir um novo adiamento da saída do Reino Unido da União Europeia, mas viu-se forçado a fazê-lo quando o Parlamento britânico exigiu mais tempo para discutir o acordo.

Uma fonte de Downing Street (residência oficial do primeiro-ministro) informou à Agência Reuters que o governo vai considerar sugestões propostas pelos partidos da oposição, depois de os Liberais Democratas britânicos e o Partido Nacional Escocês terem dito que apoiam eleições antecipadas para 9 de dezembro.