O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, declarou que vai  recomendar à União Europeia (UE) que aceite o pedido do Reino Unido de adiar a data para a saída do bloco. Para ele, a decisão visa a evitar um Brexit sem acordo.

Anteriormente, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson havia decidido interromper os debates quanto à legislação do Brexit na Câmara dos Comuns, até que a UE decida como irá responder ao pedido.

Johnson tomou a decisão depois de os legisladores rejeitarem o cronograma do governo, de três dias, para examinar a legislação do Brexit. Isso faz com que sua aprovação, até o fim do mês, seja extremamente difícil.

Uma decisão unânime da União Europeia é necessária para a prorrogação do prazo para o Brexit. As atenções agora se voltam para a decisão do bloco, de aceitar ou não a extensão do prazo e por quanto tempo.

Segundo a imprensa britânica, Johnson vai apoiar a realização de eleições gerais, caso o prazo seja estendido até o fim de janeiro. Ele visaria a ganhar maioria no Parlamento e assim liderar o processo de saída da UE.