O líder do Partido Democrático, Nicola Zingaretti, demonstrou otimismo nesta segunda-feira sobre a possibilidade de um acordo com o Movimento 5 Estrelas (M5S) para formar um novo governo de rivais. Com isso, o líder de direita Matteo Salvini ficaria afastado do poder. Nesse caso, o premiê Giuseppe Conte, que pediu demissão na semana passada, poderia voltar ao poder.

Conte renunciou após Salvini, um dos vice-premiês, retirar o apoio de seu partido, a Liga, ao governo. Zingaretti disse a repórteres que a reunião anterior com o líder do M5S, Luigi Di Maio (o outro vice-premiê), havia sido "positiva".

A escolha do premiê - possivelmente Conte novamente - tem sido um impasse, especialmente após Zingaretti passar a exigir que o novo governo rompa com o passado. Mas a participação do próprio Conte no diálogo sinaliza que ele pode voltar a comandar o governo, em uma aliança do M5S e do Partido Democrático, de centro-esquerda.

Salvini, cuja popularidade tem crescido na Itália, retirou seu apoio ao governo de quase 15 meses em uma tentativa de antecipar eleições. Ao anunciar sua saída, Conte a atribuiu à deslealdade de seu ministro do Interior e vice-premiê, o próprio Salvini, e criticou as ambições pessoais da Liga, que sabotavam a coalizão.

O presidente italiano, Sergio Mattarella, tem dito que, se até o meio da semana não tiver garantia de uma nova coalizão que possa resultar num governo duradouro, ele dissolverá o Parlamento e antecipará eleições. Fonte: Associated Press.