Influenciadora faz chá revelação com aviões e recebe críticas; veja vídeo

Variedades
Tipografia
  • Pequenina Pequena Media Grande Gigante
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times
Inga Stumbriene, influenciadora digital popular na Lituânia, foi alvo de críticas após realizar seu chá revelação com três aviões responsáveis por lançar uma fumaça na cor azul, revelando que espera um menino.

"Não conseguíamos ver por causa da poluição, obrigada", ironizou um seguidor. "O que há de errado com as pessoas hoje em dia?", questionou outro. "Quem são esses poluidores que desperdiçam tanto para dizer a todos qual o sexo do filho?", indagou um terceiro.

Apesar das críticas, a influenciadora e o marido compartilharam inúmeros registros do momento nas redes sociais. Inga também celebrou a repercussão. "Não esperava isso quando planejei a nossa celebração familiar. Uma festa que tocou tantos corações ao redor do mundo."

Para rebater os internautas, ela explicou que um dos aviões foi pilotado por seu pai. A influenciadora restringiu os comentários em algumas de suas publicações.

Confira aqui

Em outra categoria

Morreu neste sábado, 25, aos 95 anos de idade, o professor Paulo Nathanael Pereira de Souza, ex-secretário de Educação de São Paulo e um dos grandes nomes da educação brasileira. Em 2019, ele recebeu o prêmio Guerreiro da Educação Ruy Mesquita, concedido pelo CIEE e o jornal O Estado de S. Paulo em reconhecimento à sua contribuição ao País. A causa da morte não foi revelada.

Nathanael era presidente emérito e titular da cadeira sete da Academia Paulista de Educação (APE) e da número 26 da Academia Brasileira de Educação (ABE). Também foi presidente do Conselho Federal de Educação e membro do Centro do Professorado Paulista.

Ao longo de sua vida, se dedicou a estudar e emitir pareceres sobre os problemas educacionais brasileiros, sendo autor de mais de 30 livros, entre eles Educação e Desenvolvimento do Brasil e Desafios Educacionais Brasileiros.

"A Academia Paulista de Educação expressa sinceros sentimentos aos familiares e amigos do querido professor", afirmou a APE. De acordo com a Academia, o velório será realizado neste domingo, 26, das 14 às 17h, no Velório Ossel Avelino, na Rua Caetano Pimentel do Vabo, 74, na Vila Prudente. Em seguida, o corpo será cremado no Crematório Vila Alpina, na Avenida Francisco Falconi, 437, em São Paulo.

Repercussão

Hubert Alquéres, ex-secretário estadual de Educação de SP e presidente da Academia, disse à APE que a partida do professor significa que "perdemos um amigo querido mas, sobretudo, um educador gigante, que trabalhou incansavelmente pela educação de qualidade em nosso estado".

"Foi professor, formulador de políticas públicas e fez grandes reflexões sobre a educação pública brasileira. Merece ser reverenciado e lembrado pelas futuras gerações de educadores", afirmou Alquéres.

Marcia Lígia Di Roberto Guidin, editora de livros e educadora, afirmou que deve "muitos ensinamentos" a Nathanael. "Eu o vi e o ouvi dizer que nos últimos anos estava bem desanimado com os rumos de nossas escolas. É hora de descansar, querido guerreiro da educação deste País. Junte-se a outros grandes; tomara que as coisas melhorem para que possamos, de todos os lugares, nos orgulhar de nosso País."

Walter Vicioni, educador e ex-presidente do Senai, afirmou que esta é uma "triste notícia" e lamentou não poder comparecer ao velório, por estar fora do País no momento. "Que nosso bom Deus acolha a alma do nosso confrade Paulo Nathanael, em sua morada eterna, e conforte o coração dos familiares e amigos."

Trajetória

Paulo Nathanael começou sua carreira como professor primário, formado pela escola normal Dr. Álvaro Guião, em São Carlos, no interior de São Paulo. Posteriormente, recebeu o título de Doutor em Educação pela universidade Mackenzie.

Ao longo de sua vida, foi professor de História, diretor de colégios estaduais e inspetor regional de ensino em Itapetininga. Se tornou chefe do Ensino Secundário e Normal do Estado, chefe de gabinete do Secretário Estadual de Educação e secretário estadual de Educação - este último ocorreu em substituição ao Dr. Carlos Pasquale, que à época adoeceu e precisou se afastar.

Foi delegado nacional do 1º censo Escolar Federal do Brasil e presidente da Fundação Cenafor, ligada à Organização Internacional do Trabalho, em Genebra. Assim como conselheiro estadual de Educação e do Conselho Federal (hoje Nacional) - este segundo, chegou a presidir.

Também foi presidente do CIEE de São Paulo e Nacional e reitor de universidades privadas. Em 2019, foi condecorado pela presidência da República com a Comenda do Mérito Educativo Nacional, no mesmo ano em que recebeu o prêmio Guerreiro da Educação Ruy Mesquita.

Existe vida fora do planeta Terra? A resposta para esta pergunta, feita por cientistas há milhares de anos, pode estar mais próxima após cientistas descobrirem um planeta com condições similares ao nosso.

Conforme estudo publicado esta semana na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, o astro, batizado como Gliese 12 b, tem temperatura e tamanho próximos aos da Terra.

O planeta orbita uma estrela anã M fria e está no trânsito mais próximo já encontrado para esse tipo de sistema, há cerca de 40 anos-luz da Terra. Por estar fora do sistema solar, é definido como exoplaneta.

De acordo com o descritivo do estudo, trata-se de um dos menores níveis de atividade estelar conhecidos para anãs M, o que pode explicar o motivo do planeta ser temperado.

O próximo passo da pesquisa deve incluir o uso do Telescópio Espacial James Webb para analisar a atmosfera do Gliese 12b. Os cientistas devem procurar, principalmente, por indícios de água.

Ainda de acordo com o artigo de descoberta do Gliese 12b, os estudos sobre planetas que orbitam estrelas anãs M começaram por volta de 2010.

"Uma incerteza chave no nosso conhecimento atual desses planetas é se eles podem reter suas atmosferas, um pré-requisito para sua habitabilidade", diz o texto.

"O recentemente lançado JWST (Telescópio Espacial James Webb) é capaz de detectar características atmosféricas de tais planetas com espectroscopia de transmissão e emissão, caso existam."

Um delegado da polícia civil de São Paulo foi baleado por um policial militar depois de uma discussão na zona leste da capital.

Segundo testemunhas, o policial civil, de 37 anos, foi repreendido por um comerciante depois de urinar na fachada da loja dele, na esquina da rua Irmã Carolina com a rua Álvaro Ramos, no Belenzinho. O policial militar, que passava pela região no momento, foi intervir na discussão e foi atacado pelo policial civil que estava armado e, em resposta, disparou dois tiros.

O policial civil foi atingido na perna e levado ao Hospital Santa Casa, onde foi colhido também amostras para exame toxicológico e de embriaguez. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o policial baleado estava afastado de suas funções por motivos médicos.

De acordo com a SSP, a arma do PM e do policial civil, que é particular, foram apreendidas para serem periciadas e o caso foi registrado como lesão corporal no 30° DP, do Tatuapé.