Usuários das redes sociais do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) poderão, a partir das 9h de amanhã (21), ter acesso a sessões de teleorientação gratuita sobre o diabetes, com a participação de médicos voluntários de diversas especialidades. A ação faz parte do Projeto 24 Horas pelo Diabetes, organizado pelo CBO. Para participar das sessões de teleatendimento, os interessados em tirar dúvidas sobre a doença devem se inscrever antes pelo site www.24hpelodiabetes.com.br.

A informação foi dada à Agência Brasil pelo vice-presidente do CBO e coordenador do Projeto 24 Horas pelo Diabetes, Cristiano Caixeta. Ele lembrou que o projeto foi criado pelo Conselho em abril deste ano, no auge da pandemia do novo coronavírus, e disponibilizou para a população dez salas de teleatendimento visando orientar e tirar dúvidas sobre temas relacionados à oftalmologia. Como o índice de aceitação na pandemia foi bastante elevado - 97% das pessoas deram nota 9 e 10 ao atendimento, o CBO resolveu agora em novembro, quando se celebra o Mês do Diabetes, estender o projeto a todas as especialidades afetadas pela doença.

Consulta agendada - O interessado entra no site, preenche um formulário, escolhe um horário e recebe um link que vai levá-la, na hora agendada, a uma das salas para um bate-papo com vários especialistas. “A ideia não é trocar receita de ninguém, mas orientar , tirar dúvidas, esclarecer. Você vai poder, durante 15 minutos, conversar o que quiser sobre a sua doença, com esses médicos. É o paciente que define o tema”, informou o vice-presidente do CBO.

Dúvidas sobre como prevenir e tratar o diabetes, sinais que podem ser indicação da doença, o que um paciente de diabetes pode ou não fazer são algumas das questões que poderão ser esclarecidas pelos médicos voluntários da iniciativa. “O intuito da ação é promover o ensino. A gente vai orientar tudo que a pessoa quiser saber”. Cristiano Caixeta explicou que o projeto pretende também desmistificar informações falsas que circulam pela internet. “A gente vai colocar profissionais qualificados para poder tirar essas dúvidas dos pacientes”.

O oftalmologista esclareceu que o diabetes é uma doença que atrapalha a microvascularização de vários órgãos do corpo humano, como rins, pulmão, coração, fígado, cérebro “e o olho também”, que é um órgão extremamente vascularizado. A retinopatia diabética, por exemplo, pode provocar graves comprometimentos na qualidade da visão, afirmou.

Corpo clínico geral - Os voluntários que participarão do projeto integram as sociedades brasileiras de Cardiologia (SBC), de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), de Diabetes (SBD), de Endocrinologia (SBE), de Pediatria (SBP), de Geriatria (SBG) e de Nefrologia (SBN), além dos conselhos de Nutrição, Enfermagem, Educação Física. “Porque a gente quer, com esse evento, abraçar esse paciente como um todo. A gente quer mostrar que o paciente é um ser único e um ser humano que deve ser olhado por todos, em um conjunto só”.

O teleatendimento vai funcionar das 9h às 17h. “É uma prestação de serviço público para bater papo, para esclarecer. Porque a gente entende que a melhor maneira de prevenir e de cuidar essa doença é com informação correta”. Segundo o vice-presidente do CBO, o chamado comércio da cura que existe atualmente é muito perigoso e propaga a venda de produtos ilícitos. “A gente tem que tomar bastante cuidado com isso”, concluiu.