Após bater boca com Bolsonaro em reunião do presidente junto aos governadores do Sudeste ontem, 25, de manhã, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse em sua conta no Twitter estar decepcionado com a postura do presidente durante o encontro.

"Decepcionante a postura do presidente Jair Bolsonaro na reunião que tivemos há pouco com governadores do Sudeste para tratar sobre o combate ao coronavírus. Levamos as solicitações do Governo de SP e nosso posicionamento sobre a forma como a crise deve ser enfrentada", escreveu Doria.

Segundo apurou o Broadcast/Estadão, Doria iniciou a reunião lamentando o pronunciamento presidencial da noite de terça-feira, 24, quando Bolsonaro minimizou, mais uma vez, a pandemia do novo coronavírus e criticou a decisão dos governos estaduais de decretarem isolamento social, seguindo recomendação do Ministério da Saúde. Bolsonaro, em resposta, disse que Doria "não tem altura" para criticá-lo, reação que o governador chamou de um "ataque descontrolado" contra ele.

"Ao invés de discutir medidas para salvar vidas, preferiu falar sobre política e eleições. Lamentável e preocupante. Mais do que nunca precisamos de união, serenidade e equilíbrio para proteger vidas e preservar empregos", tuitou Doria. Na reunião, Bolsonaro afirmou que o governador deveria esperar as eleições presidenciais de 2022 para "destilar todo o seu ódio e demagogia".

Por fim, Doria alertou Bolsonaro: "Presidente, no nosso Estado temos 40 mortos por covid-19 dos 46 em todo o Brasil. São pessoas que tinham RG, CPF, e familiares que continuarão sentindo sua falta. Não são mortos de mentirinha, presidente. E essa não é apenas uma 'gripezinha'".