A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça, 8, a quinta fase da Operação Xeque-Mate, para investigar suspeita de fraudes e desvios de recursos públicos federais destinados à aquisição de medicamentos pela Prefeitura de Cabedelo, na região metropolitana de João Pessoa (PB).

Cerca de 50 agentes cumprem oito mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados e nas empresas contratadas pela prefeitura para fornecimento dos remédios. As ordens foram expedidas pela 16ª Vara da Justiça Federal da Paraíba.

A ação é realizada em conjunto com o Ministério Público Federal, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Estadual e a Controladoria-Geral da União.

De acordo com a PF, os investigados poderão responder por formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e fraude licitatória. As penas de tais crimes, somadas, podem chegar a mais de 30 anos de reclusão, diz a corporação.

A primeira fase da operação foi deflagrada em abril de 2018, mas no primeiro semestre de 2019 foram deflagradas duas outras fases da investigação.

Em maio passado, a quarta etapa da Xeque-Mate apurou a possível "cooptação" do conselheiro Fernando Catão do Tribunal de Contas do Estado para "impedir a construção de um empreendimento comercial em Cabedelo (PB) em benefício de um empresário".

Já a Xeque-Mate 3 foi desencadeada em março, para inibir um esquema de corrupção e fraudes licitatórias em contratos de coleta de lixo da Prefeitura de Cabedelo. Os contratos investigados superavam a quantia de R$ 42 milhões.

Defesa

A reportagem busca contato com a prefeitura de Cabedelo. O espaço está aberto para manifestação.