Apesar de entrar em campo apenas para cumprir tabela, por já estar eliminado da Taça Guanabara, o Vasco utilizou os seus titulares para a sexta e última rodada vencendo a Portuguesa-RJ por 3 a 2, neste domingo, no estádio de Bacaxá, em Saquarema (RJ). Desta forma, terminou em quarto lugar do Grupo B com sete pontos, mesma posição da rival, com seis no Grupo A.

A explicação do técnico Abel Braga é que seu time atuou muito bem na última quarta-feira, quando venceu o Oriente Petrolero-BOL por 1 a 0, pela Copa Sul-Americana. Segundo ele, agora é o momento de colocar "todos titulares para jogar".

Nesta quarta-feira, o time de São Januário estreia na Copa do Brasil contra o Altos-PI, em Teresina. O jogo de volta na Bolívia vai ser disputado no próximo dia 19, em Santa Cruz de La Sierra. Pelo Campeonato Carioca, o Vasco só volta a campo no dia 1.º de março diante do Resende.

Com os dois times sem chances de chegar às semifinais, o jogo foi disputado em ritmo de amistoso. O Vasco mostrou mais qualidade técnica e assustou aos 27 minutos, em um chute forte de Germán Cano no travessão. O gol estava maduro e saiu aos 28, após levantamento do lado direito e a cabeçada do zagueiro Werley para as redes.

Mas o empate da Portuguesa-RJ saiu rápido, aos 31 minutos. Após levantamento pelo lado direito, a defesa vascaína parou pedindo impedimento e Chayene entrou sozinho na pequena área para testar no canto. A defesa da equipe da Ilha do Governador voltou a falhar pelo alto e após levantamento de Yago Pikachu o zagueiro Werley, de novo, subiu sozinho para cabecear para baixo e sem chance de defesa. Isso aos 44 minutos.

No segundo tempo, sob forte calor, o ritmo diminuiu ainda mais. Os técnicos até usaram seus reservas, mas sem mudar o panorama. O Vasco poderia ter ampliado aos 29 minutos, quando Cano cruzou da direita e no outro lado Marrony apareceu para esticar a perna. Mas a arbitragem anotou impedimento, bastante contestado pelos vascaínos.

Mas, aos 38 minutos, o Vasco ampliou com Cano. Ele recebeu na grande área, fintou com o corpo seu marcador e chutou seco e rasteiro. A bola entrou no canto direito do goleiro Max.

A vantagem provocou acomodação do Vasco, que recuou e permitiu que a Portuguesa-RJ marcasse o seu segundo gol. Após cruzamento da direita, a defesa não cortou e Maicon Douglas apareceu na pequena área só para completar com um toque leve.

FICHA TÉCNICA

PORTUGUESA-RJ 2 x 3 VASCO

PORTUGUESA-RJ - Max; Valdir, Dilsinho, Diego Guerra e Diego Maia; Maicon Douglas, Muniz (Talento), Romarinho e Chayene (Mauro Gabriel); Matheus Pimenta (André Silva) e Nixon. Técnico: Rogério Corrêa.

VASCO - Fernando Miguel; Yago Pikachu, Werley, Luciano Castán e Henrique (Alexandre); Andrey, Raul e Marcos Júnior (Juninho); Marrony (Ribamar), Vinícius e Cano. Técnico: Abel Braga.

GOLS - Werley, aos 28 e aos 44, e Chayane, aos 31 minutos do primeiro tempo; Cano, aos 38, e Maicon Douglas, aos 44 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Diego Maia (Portuguesa-RJ); Andrey e Werley (Vasco).

ÁRBITRO - Carlos Eduardo Nunes Braga.

RENDA - R$ 30.220,00.

PÚBLICO - 1.150 pagantes.

LOCAL - Estádio de Bacaxá, em Saquarema (RJ).