O atacante Paolo Guerrero explicou, nesta segunda-feira, como conseguiu dispensa da seleção peruana para atuar pelo Internacional no jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores, na quarta, contra o Flamengo, às 21h30, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

"Eu tenho de ser agradecido ao Inter pelo que ele me apoiou", disse o jogador, referindo-se ao período em que sofreu com a suspensão por doping, em entrevista coletiva na capital gaúcha.

"Prioridade sempre vai ser jogar pela minha seleção, dar a vida pela seleção. Falei com o (Ricardo) Gareca (técnico do Peru) que gostaria de ficar para esses dois jogos. Ele não estava de acordo. Eu sempre quero ajudar meu país. Dessa vez, eu pedi para não ser convocado para jogar esses jogos que são muito importantes. Mais ainda pelo que o Inter fez por mim. Me esperou em um momento difícil para mim", ressaltou.

Guerrero comentou o fato de o time precisar pelo menos devolver o placar de 2 a 0 para levar a decisão da vaga à semifinal para os pênaltis. "Torcedor está acostumado com nossa intensidade, nossa pegada. Não temos de mostrar nada para ninguém. Temos de fazer nosso jogo de sempre. Temos de botar intensidade, criar chances e fazer os gols. Mais um jogo no qual isso é importante, é o jogo das nossas vidas."

O atacante também destacou a força do rival carioca, que assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro no último domingo e atravessa um ótimo momento. "É o nosso principal adversário. Está no mesmo patamar que a gente. A gente precisa mostrar a nossa força dentro de casa. Nosso time está preparado. Nosso foco é muito alto. É importante se manter assim. Estamos focados e com muita ansiedade pelo jogo."

Neste ano, o atacante Paolo Guerrero, de 35 anos, disputou 20 partidas pelo Internacional e marcou 11 gols. Pela seleção peruana, o atleta soma um total de 99 jogos realizados, com 39 bolas na rede com a camisa da equipe nacional.