A BH Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de BH, em Confins, fechou parceria com a Clamper, empresa do segmento de tecnologia, para ser a primeira companhia a operar dentro do Aeroporto Industrial do grupo, projeto inédito no País e que vai ser inaugurado na próxima quinta-feira. A modalidade de Aeroporto Industrial já existe na legislação brasileira desde 2002, mas especialistas destacaram que o ainda recente histórico de concessões aeroportuárias fez outros investimentos passarem na frente.

O Aeroporto Industrial é destinado, principalmente, à instalação de empresas que tenham como foco principal a exportação de produtos manufaturados, utilizando matérias-primas importadas em seu processo produtivo. Ao manufaturar seus produtos dentro do Aeroporto Industrial, as empresas terão isenções fiscais quando exportarem seus produtos acabados. A concessionária obteve certificação da Receita Federal, que credencia a operação.

“Hoje temos essa primeira empresa já fechada. A previsão de início (da operação) é primeiro de julho. Estamos em discussão com outras 10 outras empresas, que temos hoje termos de confidencialidade”, disse Marcos Brandão, diretor-presidente da BH Airport, sociedade de propósito específico (SPE) formada pelo grupo CCR e Zürich Airport, operador aeroportuário internacional de Zurique, na Suíça, com 51% de participação, além da Infraero, que detém 49%.

“A Clamper é uma empresa que tem investido muito para crescer no mercado internacional. Os benefícios aumentarão muito a competitividade no mercado norte-americano”, disse Brandão, em entrevista ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.