As divulgações dos resultados das Pesquisas Mensais de Comércio e de Serviços referentes a janeiro sofrerão um atraso para que possam incorporar uma mudança nos deflatores das receitas das empresas do setor, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em vez da tradicional divulgação nos primeiros dias de março, as duas pesquisas terão seus resultados liberados apenas no fim do mês.

Os dados coletados dos informantes são deflacionados de acordo com a coleta de preços do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial no País.

Como o IPCA de janeiro passou a incorporar as mudanças na cesta de consumo apuradas pela última Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), de 2017/2018, alguns itens que deflacionavam informações do varejo e dos serviços deixaram de ser coletados, como o transporte hidroviário, e precisarão ser substituídos por outros que ainda integram a coleta.

"Alguns itens deixaram de ser investigados. E a gente usa esses itens como deflatores da pesquisa. Mas a gente arranja um substituto na cesta do IPCA", explicou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços no IBGE. "Na segunda quinzena de fevereiro vamos detalhar as equiparações de deflatores", contou.

A próxima divulgação da Pesquisa Mensal de Comércio está marcada para o dia 24 de março, enquanto a de Serviços será no dia 25.

O IBGE informou que divulgará em breve uma nota técnica detalhando a mudança nos deflatores das pesquisas.