As vendas do comércio varejista estão 3,7% abaixo do pico alcançado em outubro de 2014, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio referentes a dezembro de 2019 realizada pelo IBGE.

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, as vendas em dezembro estava 8,5% aquém do patamar recorde de agosto de 2012.

Ontem, 12, o IBGE informou que as vendas do comércio varejista caíram 0,1% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. Na comparação com dezembro de 2018, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 2,6% em dezembro de 2019.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 1,8% no ano de 2019. As vendas ainda subiram 1,2% no quarto trimestre de 2019 em relação ao terceiro trimestre do ano passado e 3,3% ante o quarto trimestre de 2018.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 0,8% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. Na comparação com dezembro de 2018, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 4,1% em dezembro de 2019.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 3,9% no ano de 2019. As vendas ainda subiram 0,7% no quarto trimestre de 2019 ante o terceiro trimestre. Na comparação com o quarto trimestre de 2018, houve elevação de 4,5% no quarto trimestre do ano passado.

Na passagem de novembro para dezembro, seis entre as oito atividades do varejo registraram perdas, segundo o IBGE.

"Depois de sete meses de crescimento, o varejo acomoda (em dezembro) num patamar elevado. Foi o setor dentro dos setores da economia que manteve crescimento por três anos consecutivos", ponderou Isabella Nunes, gerente da pesquisa no IBGE.