A dupla Sandy e Junior realiza o primeiro show em São Paulo da turnê Nossa História neste sábado, 24, às 20 horas, no Allianz Parque, a arena do Palmeiras. Milhares de fãs já se encontravam na região antes da abertura dos portões para o público em geral, que foi programada para as 16 horas. A entrada foi liberada com 20 minutos de atraso.

Desde a estação Palmeiras-Barra Funda já era possível se deparar com inúmeros vendedores ambulantes, que ofereciam itens como faixas, camisetas, copos e bottons personalizados com o nome de Sandy e Junior.

O shopping Bourbon, que fica ao lado do local do show, também foi tomado por fãs que passeavam pelos corredores com camisas e adereços da dupla.

Fila

Ao longo da fila na Rua Palestra Itália, um músico tentava animar os fãs tocando clássicos da dupla no violino. Um pouco mais adiante, em um bar, um grupo cantava sucessos de Sandy e Junior em ritmo de samba, ao lado de uma placa escrito "Samby e Junior".

O E+, seção de entretenimento do portal do jornal O Estado de S. Paulo, conversou com Lucas Costa, de 22 anos, estudante de Caieiras que chegou por volta das 12 horas de sexta-feira, 23, para acampar por um lugar na fila do show. Ele explica que tomou a decisão após não ter conseguido comprar um ingresso na categoria pista premium. "A gente sofreu tanto para comprar o ingresso. Pensei: 'é cadeira inferior, mas vou ver se consigo um lugar bom'", disse.

Sobre passar a madrugada 'na rua', o fã contou que teve medo. "Não vou negar. Principalmente no período da noite. Para nossa sorte, tinha um pessoal da organização, então eles ficaram com a gente praticamente a noite toda, até umas oito da manhã. A gente acabou se sentindo mais à vontade, mas o medo sempre existe."

Como tantos outros fanáticos, Costa já tem ingressos comprados para mais dois shows da dupla em São Paulo, em outubro, e o derradeiro da turnê Nossa História, no Parque Olímpico, onde será gravado um DVD.

"É uma coisa que nunca me desgrudei. Claro que a gente tem outras fases, outros cantores, bandas, mas é uma coisa que nunca saiu de mim", explica ele sobre a paixão por Sandy e Junior, que vem desde os cinco anos de idade.

O professor Márcio Beltrão, de 32 anos, por sua vez, veio de longe para assistir ao show de Sandy e Junior, que acompanha desde 1995. Ele passou oito horas em um ônibus para ir de Britânia, onde mora em Goiás, para a capital do Estado, Goiânia. De lá, pegou um avião para São Paulo. O voo atrasou e chegou apenas na madrugada de sábado, dia do show. "Sou acostumado a viajar. Semana passada fiz o mesmo percurso para ir num show da Xuxa", contou.

Beltrão vai ao show acompanhado de um amigo paulistano e explica: "Nós revezamos. Não tem como. Se você for sozinho e sair, perde o lugar".

Questionados sobre uma possível 'volta definitiva' de Sandy e Junior como dupla, os fãs preferiram manter os pés no chão. "Esperança a gente sempre tem, mas eles já deixaram bem claro que não pretendem. É a vida deles, a gente tem que entender", disse Costa.

"Acho que, no máximo, vão lançar shows especiais, uma música avulsa, para uma campanha... Agora, seguir a carreira juntos, não", afirmou Beltrão.

A dupla Sandy e Junior está na capital paulista para a realização de dois shows neste fim de semana. O primeiro neste sábado e o segundo no domingo, 25. Ambas as apresentações são na arena do Palmeiras.