A Apple tirou de sua loja virtual, nesta quinta-feira, um aplicativo para smartphone que permite monitorar movimentações da polícia de Hong Kong, após um jornal do governo chinês acusou a empresa de facilitar crimes.

Em comunicado, a Apple informa que o app HKmap.live foi removido da loja por ser utilizado por ativistas para "rastrear e emboscar a polícia" e "ameaçar a segurança pública", violando leis locais e regras de conduta da empresa.

O aplicativo consiste em um mapa onde usuários podem marcar localizações de policiais e lugares onde há uso de gás lacrimogêneo, entre outros detalhes. Na quarta-feira, o Diário do Povo, jornal oficial do Partido Comunista da China, acusou a Apple de "facilitar atividades ilegais" ao fornecer informação para "vândalos de Hong Kong".