O Movimento 5 Estrelas (M5S), partido antissistema, e o Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, ficaram na terça-feira, 27, mais próximos de formar uma coalizão de governo na Itália. O PD aceitou a exigência de manter Giuseppe Conte como premiê, mas ainda não aceitou que Luigi Di Maio, líder do M5S, fique na vice-presidência.

Se conseguirem um acordo, o grande derrotado seria Matteo Salvini, líder da Liga, que ocupa a vice-presidência e o cargo de ministro do Interior. Ele foi o responsável por derrubar o governo anterior, acreditando que PD e M5S não chegariam a um acordo e novas eleições seriam realizadas, das quais a Liga sairia com confortável maioria. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.