Mais de 13 mil venezuelanos entraram no Equador durante o fim de semana, informou nesta segunda-feira, 26, o governo equatoriano. Domingo foi o último dia em que os venezuelanos puderam entrar no país sem apresentar visto humanitário. Para adquiri-lo, Quito exige um passaporte venezuelano que não tenha expirado em até cinco anos e um certificado de antecedentes criminais quitado.

Vindos da Colômbia e do Peru, os venezuelanos protestaram nesta segunda-feira, 26, na fronteira contra a nova medida, bloqueando a passagem de carros. Um equatoriano que vivia há 40 anos na Venezuela e fazia a viagem morreu de enfarte. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.