Em uma escala de tensões, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Zarif, disse nesta quinta-feira que o país deve ter o direito de responder às "inaceitáveis" sanções impostas pelos Estados Unidos, que há um ano se retiraram unilateralmente do acordo nuclear e reativaram o asfixiamento econômico contra a República Islâmica.

O Irã foi acusado pelos EUA e pela Organização das Nações Unidas de fornecer mísseis balísticos e outras armas para os houthis, que reivindicaram o recente atentado a oleodutos de petróleo dos Emirados Árabes Unidos. Teerã nega apoiar esses rebeldes.

As autoridades dos EUA disseram ter detectado sinais de preparativos iranianos para ataques potenciais às forças dos EUA no Oriente Médio, embora sem apresentar evidências, e ordenaram que funcionários considerados não essenciais da embaixada em Bagdá e do consulado em Irbil, no Iraque, deixassem a região.

O líder do Irã chegou a emitir uma ameaça velada na semana passada, dizendo que não seria difícil para o país enriquecer urânio para fins bélicos. Fonte: Associated Press.