Um dia depois da campeã olímpica Rafaela Silva ganhar o bronze, dando ao Brasil a primeira medalha no Mundial de Judô, que está sendo disputado no ginásio Nippon Budokan, em Tóquio, no Japão, três judocas do País entraram no tatame nesta quarta-feira na briga por mais pódios, mas não chegaram nem perto disso. Ketleyn Quadros e Eduardo Yudy Santos até venceram uma luta cada, mas caíram logo na sequência. Alexia Castilhos perdeu na estreia.

Pela categoria 63kg, Ketleyn Quadros começou o Mundial muito bem. Com apenas 11 segundos de luta, a brasileira obteve o ippon mais rápido da competição até agora sobre a senegalesa Anna Siga Faye e avançou à segunda fase. Mas aí encarou uma situação oposta. Sua adversária era a holandesa Juul Franssen, número 5 do ranking e medalhista de bronze no Mundial de Baku em 2018. Derrota nas punições.

"É uma atleta forte, dura. Já tinha ganhado dela e também já tinha perdido. Numa luta tão equilibrada como essa, são os detalhes que fazem a diferença", contou Ketleyn Quadros. "Ela joga segurando forte na gola, o que dificultou as minhas entradas. Eu procurei entrar e acabei sendo punida por falso ataque. Mas minha intenção era entrar para jogar", explicou a brasileira após a luta.

Pela mesma categoria, Aléxia Castilhos foi derrotada logo na estreia pela mongol Gankhaich Bold, número 19 do mundo, que conseguiu dominar a pegada e projetou a brasileira duas vezes para vencer por ippon. "É um resultado frustrante. Eu queria ter avançado mais na chave. Mas é mais uma experiência para mim que vou tentar levar para as próximas", disse.

Alexia Castilhos reconheceu a dificuldade de disputar uma competição de tão alto nível, mas valorizou a experiência adquirida em seu primeiro Mundial Sênior. "Foi meu primeiro Mundial. Fiquei um pouco nervosa e não consegui impor meu jogo durante a luta", justificou a brasileira de 24 anos, que neste ano foi bronze no Grand Prix de Montreal e nos Jogos Pan-Americanos de Lima.

No masculino, na categoria 81kg, Eduardo Yudy Santos estreou no Mundial com vitória sobre o português Anri Egutidze com um waza-ari no "golden score", mas caiu na segunda fase ao sofrer um ippon contra o canadense Etienne Briand.

O Brasil volta à ação nesta quinta-feira, no quinto dia de disputas do Mundial, com Rafael Macedo na categoria 90kg e Maria Portela na 70kg.