A Arena Corinthians teve aproximadamente 16 mil cadeiras vazias na derrota para o Flamengo pelas oitavas de final da Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira. Apesar da importância do confronto, o público foi de 30 mil torcedores, abaixo da média de 32 mil que o estádio tem em cinco anos de funcionamento. A renda foi de pouco mais de R$ 2 milhões.

O diretor de futebol, Duílio Monteiro Alves, evitou entrar em polêmica sobre a ausência de torcedores em um clássico do futebol nacional, mas avisou que o clube está atento a essas mudanças e tentará readequar os valores dos ingressos.

"A gente tenta ajustar, quer o torcedor aqui dentro. Sabemos das dificuldades do torcedor vir em todos os jogos. Mas não cabe a mim comentar sobre isso. Sabe que o clube tem dificuldades, tem que pagar contas, a arena. Isso não justifica colocar só em cima do torcedor. Mas tem que trabalhar em cima para colocar um valor justo", declarou.

O aumento de até 300% em alguns setores afugentou o torcedor e não gerou o retorno esperado. No ano passado, na semifinal contra o mesmo Flamengo na Copa do Brasil, com ingressos mais baratos, 44 mil torcedores foram ao estádio e geraram renda de R$ 3,6 milhões.

Apesar de a diretoria não admitir o erro, no site oficial, o clube informou que começaram a venda dos próximos jogos da equipe com preços bem mais modestos. Enquanto contra o Flamengo somente dois setores tinha ingressos abaixo dos R$ 100 (a R$ 50 e R$ 60), para a partida da próxima quinta-feira contra o Deportivo Lara pela Copa Sul-Americana, o torcedor tem ingressos a partir da R$ 30, com seis setores intermediários com valores entre R$ 40 e R$ 70. O bilhete mais caro sairá por R$ 350.

Na sequência, para o clássico com o São Paulo, pelo Brasileirão, os ingressos também estão mais em conta, saindo a partir de R$ 40 e podendo chegar a R$ 400, com seis setores abaixo dos R$ 100.