A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou que vai utilizar o sistema de reconhecimento facial para identificação de torcedores nos seis estádios onde serão disputadas as partidas da Copa América Brasil 2019. A novidade foi anunciada na abertura do Seminário Geral de Proteção e Segurança, no teatro do Sesc/Senac, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, organizado pelo Comitê Organizador Local.

De acordo com o gerente de Segurança do Comitê Organizador Local da Conmebol, Hilário Medeiros, esse será o primeiro evento no Brasil a trabalhar com o reconhecimento facial. "Vamos deixar um banco de dados que será abastecido com informações de todo o mundo. Trabalhamos em parceria com os órgãos de segurança pública e a Interpol [organização internacional que ajuda na cooperação de polícias de diferentes países] para impedir que um indivíduo indesejado, que já tenha ou possa vir a causar distúrbios, entre nos estádios e perturbe o torcedor”, explicou.

Medeiros disse que, além da utilização do sistema de reconhecimento facial para coibir a presença de vândalos ou pessoas foragidas da Justiça nos estádios, um efetivo de 10 mil agentes de segurança privada será contratado pelo Comitê Organizador Local para o policiamento dentro dos estádios.

O planejamento de segurança da Copa América Brasil 2019 foi desenhado em parceria com a Secretaria de Operações Integradas (Seopi), responsável pela articulação entre o os organizadores e os órgãos de segurança pública e agências reguladoras: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Guarda Municipal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Segundo o coordenador geral de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, coronel Antônio Edgard Santos de Jesus, o trabalho foi feito em parceria com o Comitê Organizador Local. "Outro trabalho é o de identificar alguns fatores que podem representar risco para a operação, fazemos o monitoramento deles e já montamos uma ação de resposta”, avaliou.

No discurso de abertura do seminário, o diretor de Operações do Comitê Organizador Local, Agberto Guimarães, destacou a excelência do país na promoção de grandes eventos. “Fazer um evento desta natureza, como é a Conmebol Copa América, após 30 anos, faz bem para o país porque voltamos a ser janela para o mundo. O Brasil organizou uma série de eventos recentemente, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, e nada, do ponto de vista da segurança, manchou qualquer um desses eventos”.