As principais bolsas europeias fecharam em território positivo nesta segunda-feira, embora o índice pan-europeu Stoxx 600 tenha ficado praticamente estável. As praças chegaram a operar em baixa na abertura, com a tensão comercial entre Estados Unidos e China no radar, mas foram apoiadas por sinais mais conciliadores do presidente americano, Donald Trump, durante reunião do G7 na França. O dia foi ainda marcado por volumes reduzidos, graças a um feriado bancário no Reino Unido que deixou a bolsa de Londres fechada.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,02%, em 371,28 pontos. Apesar disso, o movimento foi de alta nas principais praças da região.

Trump disse que os EUA e a China irão retomar negociações comerciais "em breve" e "de forma muito séria". Ele voltou a afirmar que Pequim deseja sucesso nesse diálogo. "Acho que teremos um acordo", comentou Trump em Biarritz, no último dia da cúpula de líderes das sete maiores economias globais.

Na agenda de indicadores, o índice de sentimento das empresas da Alemanha, do instituto Ifo, recuou de 96,8 em julho a 94,3 em agosto, na mínima desde novembro de 2012, ante previsão de 95,1 dos analistas. Na avaliação do banco holandês ING, o dado mostra que a economia alemã "continua em queda livre". Ao mesmo tempo, o BBH lembra, após citar esse indicador em relatório, que "todos os sinais apontam para um relaxamento" pelo Banco Central Europeu (BCE) em 12 de setembro, o que tende a ajudar os mercados acionários.

Em Frankfurt, o índice DAX fechou em alta de 0,40%, a 11.658,04 pontos. Entre os destaques, Deutsche Wohnen caiu 2,96%, pressionada por relatos de planos para um teto de 8 euros por metro quadrado em Berlim. Pelo mesmo motivo, Vonovia recuou 0,62%. Já entre as mais negociadas, Commerzbank subiu 1,43%, E.ON avançou 0,97% e Infineon Technologies, 0,98%, enquanto Deutsche Bank foi na contramão e caiu 0,41%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 teve alta de 0,45%, a 5.351,02 pontos. Entre os bancos franceses, BNP Paribas subiu 1,21%, Crédit Agricole ganhou 0,55% e Société Générale, 0,92%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB teve ganho de 0,99%, a 20.676,83 pontos. Intesa Sanpaolo se destacou, em alta de 1,93%, e Telecom Italia avançou 1,46%, entre os mais negociados.

O índice IBEX-35, da bolsa de Madri, subiu 0,34%, a 8.679,20 pontos. Em Lisboa, o índice PSI-20 teve ganho de 0,33%, a 4.808,24 pontos.