O deputado José Guimarães (PT-CE) afirmou nesta sexta-feira que a oposição está empenhada em forçar a realização da votação do segundo turno da reforma da Previdência só em agosto. De acordo com ele, será muito difícil manter o quórum no sábado ou na próxima semana, quando começará o recesso parlamentar. "Estamos trabalhando para deixar votação do segundo turno da reforma para agosto", disse.

O deputado também afirmou que a oposição só irá registrar presença na sessão desta sexta depois que o governo conseguir garantir o quórum necessário para as deliberações. "Se não tem quórum até agora, é culpa da base. Eles que têm que garantir voto", disse.

Para Guimarães, o impacto do texto-base da reforma foi "muito forte nos Estados". "Os deputados querem amenizar os danos com a aprovação dos destaques", afirmou. Como exemplo, ele citou a aprovação das mudanças nas regras do período de contribuição mínima. Tanto homens quanto mulheres permaneceram com 15 anos de contribuição, como é hoje. "Jamais imaginei que o destaque sobre o tempo de contribuição seria aprovado. Foi uma vitória importante", disse.

Guimarães disse ainda que o Brasil tem dois governos atualmente: o do presidente Jair Bolsonaro e outro, em sua avaliação, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).