O Ibovespa abriu em baixa nesta quinta-feira, 27, e esta tendência pode continuar ao longo do dia, com os futuros em Nova York apontando para um pregão com quedas superiores a 1% em Wall Street, com os investidores ensaiando uma realização de lucros após as altas de 5% na véspera - por conta da estratégia da Casa Branca para mostrar que o atual presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, segue no cargo.

As principais bolsas europeias operam em queda nesta quinta-feira. Às 10h25, o Ibovespa cedia 0,14%, aos 85.014,87 pontos. A sinalização é de novo dia de baixa liquidez, com volume projetado de negócios de US$ 7 bilhões.

Na volta do Natal, a forte alta em Wall Street, com as bolsas registrando o melhor pregão em 10 anos, ajudou a reduzir o ritmo de queda do Ibovespa na quarta-feira, 26, que chegou a recuar mais de 1% antes da abertura dos negócios em Nova York, mas não impediu que o índice da bolsa paulista terminasse o dia em queda. No mês, até esta quarta, o índice acumulou recuo de 5%.

A agenda local desta quinta-feira é fraca e os destaques ficam com dois indicadores divulgados nos EUA, os pedidos semanais de auxílio desemprego, que ajudam a dar pistas sobre os próximos passos da política monetária do Fed, e o índice de confiança do consumidor de dezembro, medido pelo Conference Board (13h).

"No Brasil, o mercado deve seguir a tendência do cenário internacional, dada a ausência de noticiário local relevante nestes últimos dias de negociação em 2018", ressaltam os gestores da Capital Investimentos.

Em Washington, serão retomadas na noite desta quinta as negociações para tentar encerrar a paralisação parcial do governo americano. Mas nem democratas e nem republicanos sinalizaram que estão muitos dispostos a chegar a um consenso por agora, o que indica que a paralisação vai prosseguir até o começo de 2019.

O presidente dos EUA, Donald Trump, já declarou estar preparado para esperar o "tempo que for preciso" para obter os recursos necessários para construir o muro na fronteira com o México.

As declarações do presidente do Conselho de Consultores Econômicos americano, Kevin Hassett, que garantiu que Trump não tem intenção de demitir Powell, trouxeram alívio ao mercado na tarde de quarta, mas os analistas da Guide Investimentos, ressaltam que o tom que se desenha para esta quinta-feira é de "correção da euforia".

Persiste entre os investidores preocupações com a desaceleração da economia mundial. Após o barril tipo brent disparar 8,5% na quarta, e ajudar as ações da Petrobras, os futuros do petróleo operavam em queda acima de 1,5% na manhã desta quinta-feira e a ação PN da petroleira cedia 0,97% por volta das 10h25.