O futuro presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, afirmou nesta quinta-feira, 6, que o banco de fomento vai trabalhar na mobilização de recursos para a volta do crescimento e, consequentemente, do investimento no País. Segundo ele, o investimento é o primeiro passo para o crescimento e é preciso ter confiança.

Levy disse que tem tido conversas muito próximas com a equipe de transição e nesta quinta participa de reunião com o presidente eleito do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro José Múcio Monteiro.

Múcio Monteiro oferecia um café a jornalistas, quando Levy chegou ao tribunal e acabou sendo convidado para comer um bolo de rolo, doce tradicional de Pernambuco, Estado de origem do presidente eleito do TCU.

Levy disse ainda que irá trabalhar para fortalecer a transparência e o compliance do BNDES. Ele afirmou que os processos têm de ser bem definidos.

Segundo ele, o BNDES já tem uma forma de relacionamento importante com o tribunal de contas e deve fortalecer também esse processo. Levy disse que o atual presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, trabalhou para essa aproximação com o tribunal de contas.

Segundo ele, o banco tem uma equipe muito boa e descartou uma paralisação do corpo técnico do BNDES em função das pressões que surgiram para a abertura da chamada "caixa preta" das informações do banco. Levy disse que seu trabalho será dar condições para que o corpo técnico trabalhe com segurança.